Mais um empresário florianense que é vítima de crime não procura a Polícia Judiçiária para denunciar por não acreditar num resultado do trabalho. Em menos de 45 dias, num período de 48 horas, o empresário Conegundes Gonçalves de Oliveira, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Floriano, teve a loja invadida duas vezes.

conegundes

Os criminosos, após andarem sobre o telhado numa distância extrema desceram numa parede lateral da loja, arrombaram uma porta e tiveram acesso as dependências da empresa.

Não se sabe quantos homens, mas inúmeros prejuízos foram deixados e as queixas foram registradas na Polícia Civil, mas nenhum dos investigadores lotados na Central de Flagrantes apareceu para iniciar um trabalho no sentido de desvendar os crimes.

Agora, no último final de semana num prazo de sessenta dias, aproximadamente, a empresa do empreendedor Conegundes Oliveira voltou a ser invadida, mas desta feita o mesmo não registrou a ocorrência por não ter sido atendido pela Polícia Civil nos crimes anteriores.

“Tive prejuízos nos três crimes. Nos dois anteriores fomos até a Central de Flagrantes para registrar um Boletim de Ocorrência, deixamos o local do crime como deixaram os criminosos para que a polícia iniciasse uma linha de investigação, mas ninguém apareceu até hoje para ter detalhes dos casos ”, disse o empresário afirmando que tem deixado pequenos valores na empresa, pois os invasores estão querendo dinheiro, pois não tem levado objetos.

Ainda segundo o líder sindical no quarteirão onde há as instalações da sua loja, à Rua Fernando Marques, Centro de Floriano, existem outras seis empresas e, pelo menos, quatro delas já foram vítimas de criminosos somente este ano, sendo que algumas delas já foram invadidas, após serem arrombadas as portas e telhados, até três vezes.

 

Da redação

Drogalider
Casa da Vóvo
Luan Gás
Tem contabilidade
sdsdsdsds