O Grupo de Cerimonial do Município de Floriano que na gestão Joel Rodrigues tem o comando do professor Carlos Vilarinho, um dos homens mais entendidos na cidade no que diz respeito a protocolos usados em solenidades, passou oito dias comandando as solenidades que foram realizadas no município, tanto na zona rural quanto na área urbana, durante o período de aniversário dos 121 anos da Princesa do Sul, ou seja, no período de 1º a 8 de julho passados.

alcevila

Numa entrevista sobre ações do Grupo de Cerimonial que é formado pelo João Raimundo (locutor), Alcemary (auxiliar) e pelo próprio professor Carlos Vilarinho (chefe do grupo), ele disse que dois contratempos ocorreram nesse período e que foram desagradáveis.
Uma das situações ocorreu com membros da Banda de Música da Prefeitura de Floriano.

Alguns músicos, estavam revoltados e tudo se deu na reinauguração da Fundação Floriano Clube, à Rua São Pedro, quando integrantes da Banda do Município foram barrados quando iam entrar no referido local no momento da ocasião da reinauguração para executar dos hinos de Floriano e do Brasil, além de executarem outras músicas.

 banda

O professor Carlos Vilarinho foi quem narrou o fato ao piauinoticias, já no sábado, e tudo foi confirmado pelo sargento Juvenal, policial militar reformado, que é integrante da Banda e que teria sido uma das vítimas.

Eles tentavam entrar no Clube antes do desenlace da fita inaugural quando teriam sido barrados, apesar de alguns já estarem nas dependências. A proibição teria partido do empresário Teodoro Sobral que é um dos coordenadores do local, disse o professor Carlos Vilarinho e confirmado pelo sargento PM Juvenal que toca um instrumento de sopro chamado tuba.

Outro fato que causou comentários, de acordo com o professor Vilarinho, se deu quando na inauguração do Calçadão da Rua São Pedro o governador se pronunciou antes do prefeito Joel Rodrigues, pois de acordo com as normas de protocolos cerimoniais o chefe do Executivo Estadual se pronuncia por último, fato que não ocorreu em Floriano, por exemplo, onde ele é superior, em termos de hierarquia, ao prefeito por ser o comandante do Estado.

Vilarinho foi criticado por alguns dos integrantes do Grupo de Cerimonial do Govenador, por perguntar ao petista Wellington Dias se ele aceitaria se pronunciar depois do prefeito Joel e o mesmo respondeu que sim, que não tinha problemas.

“Na entrega da Rua São Pedro o Paulo Cesar, conhecido por PC do Cerimonial do Palácio de Karnac, em Teresina, me interpelou afirmando que queria comandar o Cerimonial e eu disse não, que o cerimonial aconteceria nas instâncias do Município de Floriano, pois se tratava de uma ação do município e não do Estado. A gente pode fazer em parceria sem problema nenhum. E houve uma cortesia do próprio governador Wellington Dias que ao chegar em Floriano, você é testemunha disso, ele sempre diz olha Carlos fique à vontade! Cheguei para ele (Dias) e perguntei. Excelência, o prefeito Joel pode falar depois do senhor, o senhor abre a precedência? E ele disse: aqui que manda é você. Precedência aberta pode seguir. E, assim foi feito. O governador falou primeiro para depois falar o prefeito Joel Rodrigues. Inclusive, isso foi motivo de chacota no grupo Cerimonial do Estado do Piauí. Jogaram muita piada quanto a mim, ao nosso trabalho. Mas é aquela coisa, a precedência quem manda é a autoridade maior. Como ele (Dias) autorizou e aqui ele sempre fez isso, do Joel Falar depois, nós seguimos. Mas sabemos que o correto é o governador falar por último. No entanto, ele abriu a precedência e assim foi feito”, externou o professor Carlos afirmando que teve voz altiva para contornar a situação, pois chegou a falar que no município a autoridade maior, num caso desses, é o prefeito.

Disse mais o professor Carlos Vilarinho, que é um responséveis pela Banda nos eventos, que foi uma semana de muito trabalho, mas tido feito com profissionalismo e com muita atenção pelos membros do Grupo de Cerimonial. 

OUTRO LADO
No caso que envolveu o Teodoro Sobral o piauinoticias entrou em contato com a assessoria do mesmo, mesma pessoa que enviou a resposta do problema com Anvisa, mas não obteve resposta sobre a questão do que houve no Floriano Clube.

Em relação ao assessor do Governador Wellington Dias que é citado na matéria, o portal não conseguiu o seu contato. Espaços em aberto para as colocações dessas pessoas citadas na matéria.

 

Contratempo - substantivo masculino

Circunstância ou incidente inesperado, que impede ou contraria o curso de um acontecimento, de um projeto etc.

 

Da redação

IMAGEM: Carlos Vilarinho

sdsdsdsds