O povo brasileiro sempre foi e continua sendo totalmente desinformado, se contenta com pouca coisa, aceita a miséria e o sofrimento, como provação para osorioalcançar benefícios em período eleitoral; desconhece a história passada e presente de cada candidato e acredita no País do futuro, e em promessas feitas por políticos profissionais que adoram o poder e vivem as custas do dinheiro público, sem ter o menor caráter e respeito pelo eleitor, e nenhum amor pela pátria, sem se importar com as expectativas dos que trabalham e sustentam o País, pagando impostos absurdos para manter péssimos administradores que vivem exclusivamente de reeleição em reeleição, usando as instituições como cabide de emprego para si e sua família, na realidade o sistema politico brasileiro, aliado a ignorância da população e o atraso educacional milenar, oriundo do período pré-histórico, causa ânsia e vomito em qualquer ser pensante, por mais acéfalo que seja neste universo. Este, é o “País” do futuro que acreditamos, no entanto, esse futuro só poderá ser realidade, quando houver pessoas humanas com caráter, conhecimentos, e probidade administrativa, nas assembleias legislativas, nos poderes executivos e nas demais instituições públicas, e para sair desse estágio do atraso, precisamos possuir cidadãos e cidadãs dignos de tudo, inclusive de virtude. Um País onde a população só possui conhecimento para a maldade, nunca poderá evoluir em nada, porque a primeira demonstração de respeito pelas instituições deve vir do povo, se temos um povo escravo da própria dignidade humana, onde essa dignidade é retardada pelo Estado, através de seus agentes públicos, que fazem de tudo para manter o povo sem uma educação de qualidade, suprimindo desta feita os limites da inteligência de cada ser humano.

Definitivamente eu gosto do povo brasileiro. Mas passo todos os meus dias pensando porque o País é assim tão diferente daquilo que eu queria que ele fosse, porque o povo insiste em eleger corruptos e pessoas que escolheram a politica como profissão.

A resposta é óbvia. O povo não merece o País em que vive e que recebeu. O País em si, é grande, rico das mais preciosas matérias-primas, o suficiente para sustentar o desenvolvimento industrial, comercial e se tornar interessante para investimentos externos. A maior floresta do mundo está no Brasil, a maior bacia fluvial do mundo também, montanhas, neves, e semiárido e não tem inimigos naturais além das suas mal controladas fronteiras. Por que o País é o que é?

 A cada reflexão, a cada vez que me confronto com período eleitoral faço essa mesma pergunta, a resposta se torna cada vez mais óbvia. É duro, mas é a pura verdade. O pior do Brasil não o é o povo brasileiro; é o sistema politico que emperra a educação, fazendo com que as pessoas não pensem.

Mas eu vou além. Dizer que ama o Brasil e cometer os mesmos erros e crimes que a maioria dos políticos comete não é amar, é fingir que ama, é amar da boca para fora. Tenho uma visão diferente do que é amor, e é muito diferente daquelas de oportunistas de bandeiras durante a Copa do Mundo, com textos mentirosos dizendo que o Brasil é o que nunca foi. O melhor País do mundo. Mentir para si mesmo e para os outros não é amor, é ilusão, é subterfúgio a triste realidade dos fatos.

Alguns tentarão justificar que outros povos são assim, que fulano e beltrano também têm os mesmos defeitos como se isso fizesse de nós um povo menos primitivo. Tentarão comparar o Brasil ao Sudão e dizer que estamos bem. Outros me jurarão de morte, alguns me amaldiçoarão como se isso os tornasse mais brasileiros. Outros, em sua inocência, dirão que temos praias lindas, mulheres bonitas, rios e florestas, como se a obra da natureza fosse mérito do homem.
Os brasileiros precisam aprender que os poderes públicos, em qualquer instância, seja ela municipal, estadual ou federal, não concedem “favores”, mas apenas cumprem obrigação! Afinal, nossos representantes políticos se colocaram à disposição ao disputar um cargo eletivo e principalmente, são muito bem remunerados para fazer atividades dentro de suas responsabilidades.

O pior político é aquele que se apressa em aparecer por ter feito “favor”, publicando nas redes sociais que o serviço foi realizado por “intervenção” dele, como geralmente acontece. Mas, pior que político que faz “favor”, é o eleitor que acredita ou acha que deve qualquer obrigação ao político.

Dr. José Osório Filho

sdsdsdsds