A bruxa está solta na Seleção Brasileira. Após Danilo lesionar o quadril, foi a vez de Douglas Costa machucar o músculo posterior da coxa direita. Neste sábado, o médico da equipe canarinho, Rodrigo Lasmar, revelou o problema físico do atacante que recebeu elogios por sua atuação no confronto com a Costa Rica. Fora de ação, ele não viaja com o restante do elenco para o duelo com a Sérvia, na próxima quarta-feira.

douglas

Douglas Costa havia se apresentado à Seleção Brasileira em Teresópolis já com uma lesão no músculo posterior da coxa esquerda. Agora, o atacante lida com a mesma lesão da qual foi se recuperar somente após 14 dias de preparação, já na Inglaterra, só que na coxa oposta.

“Ontem, no final do jogo, o Douglas Costa se queixou de dores na região posterior da coxa direita. Foi diagnosticada uma lesão muscular no local, confirmada pelo exame de ressonância magnética. O jogador não viajará conosco, ficará em Sochi, onde temos uma estrutura adequada para que ele possa se recuperar o quanto antes. Ele vai continuar o processo de recuperação aqui juntamente com o Danilo, que também não viaja”, afirmou Lasmar.

Neste sábado, Douglas Costa e Danilo foram os únicos atletas que não participaram do treinamento regenerativo. Após a atividade, não haveria coletiva de imprensa, porém, com o imprevisto envolvendo o camisa 7 do time canarinho, o médico da Seleção Brasileira teve de dar a péssima notícia aos jornalistas, uma vez que o jogador da Juventus estava sendo cogitado pela crítica como titular contra a Sérvia.

Apesar da lesão, Douglas Costa ainda tem chances de voltar a atuar nesta Copa do Mundo. Rodrigo Lasmar está confiante de que o jogador possa se recuperar a tempo caso a Seleção Brasileira vá longe no torneio, chegando à uma hipotética final no próximo dia 15 de julho.

“Tudo depende do nosso desempenho dentro da competição. Dentro da melhor expectativa, existe a possibilidade de ele nos ajudar na nossa trajetória até a final. Claro que ele não terá condição de jogo contra a Sérvia, não temos uma data exata, sua recuperação vai dizer quando poderemos contar com ele”, prosseguiu o médico do Brasil.

“Não vamos falar em tempo. Lesão muscular, infelizmente, não é uma lesão que podemos contar dias e a partir disso o atleta estará trabalhando. O atleta que vai nos dizer quando ele estará pronto. Sabendo do tempo que temos até a final, dependendo do nosso desempenho, estamos confiantes na presença desses atletas”, concluiu Lasmar, incluindo o lateral-direito Danilo, que se recupera de uma lesão no quadril.

 

msn

A goleada da Bélgica por 5 a 2 sobre a Tunísia pela segunda rodada do Grupo G da Copa do Mundo rendeu uma marca que não acontecia desde o fatídico 7 a 1 da Alemanha sobre o Brasil na semifinal do Mundial de 2014.

copa

Lukaku e Hazard anotaram dois gols cada um no triunfo deste sábado. A última vez que o fato havia ocorrido foi no dia 8 de julho de 2014, no Mineirão, quando Schürrle e Kroos anotaram dois tentos cada um.

O fato raro também foi conquistado outras três vezes no atual formato da Copa do Mundo: ainda em 2014, pela Holanda, e em 1998, por Brasil e Argentina.

No atropelo dos Países Baixos sobre a Espanha durante a última Copa, Van Persie e Robben fizeram dois gols cada. Já no Mundial vencido pelo França, a dupla Ronaldo e César Sampaio conquistou o feito diante do Chile. No mesmo ano de 1998, Ortega e Batistuta também alcançaram a marca diante da Jamaica.

Na oportunidade, Batistuta ainda foi além, anotando um hat-trick no triunfo por 5 a 0.

A queda durante a comemoração do gol marcado por Coutinho causou uma lesão no técnico Tite. Após o meia abrir o placar aos 45 do segundo tempo na vitória por 2 a 0 da Seleção Brasileira sobre a Costa Rica, o treinador saiu correndo para festejar com os jogadores, mas acabou enroscando-se com o goleiro reserva Ederson, caiu e levantou com a ajuda do próprio Ederson e de Cássio.

titi

Tite logo colocou a mão na coxa esquerda após levantar-se. De acordo com a assessoria de imprensa da CBF, a lesão do treinador não parece ser grave.

- Senti uma fisgada. Não é contratura. Como é quando rompe? Não consigo andar direito. No segundo tempo fiquei me perguntando: "Essa bola não vai entrar? Navas dando tapinha, bola na trave, 23 finalizações". E quando caí, o Éderson deu um toquinho, quando levantei, estava o Cássio. Eu ia comemorar com eles lá, mas não deu, tive que voltar - afirmou Tite, que chegou mancando à sala de imprensa para conceder a entrevista coletiva.

A Seleção Brasileira venceu a Costa Rica por 2 a 0, com os dois gols marcados nos minutos finais da partida. Com o resultado, a equipe chegou a quatro pontos na Copa do Mundo.

 

msn

suiçaAbandonando de vez a fama de retranqueira, a Suíça foi para o ataque nesta sexta-feira e conquistou suada vitória de virada sobre a Sérvia, por 2 a 1, em Kaliningrado. O resultado deixou embolado o Grupo E, com chances de classificação para as duas equipes e também para a seleção brasileira, que segue na primeira colocação.

omo aconteceu na estreia, contra o Brasil, a Suíça saiu atrás no placar. A Sérvia abriu o placar aos 4 minutos de um primeiro tempo marcado por certa cautela e poucas chances de gol. Mas, na etapa final, a Suíça foi para cima, deixou a retranca para trás e buscou o empate e a virada, com um gol heroico de Shaqiri aos 44 minutos.

O resultado manteve o Brasil na primeira colocação da chave, com os mesmos quatro pontos da Suíça, mas com saldo de gols superior. A Sérvia caiu para o terceiro lugar, com três. E a Costa Rica, ainda sem pontuar, já está eliminada. No embalo grupo, o Brasil só precisa de um empate na rodada final para assegurar vaga nas oitavas de final.

Os classificados da chave serão conhecidos na próxima quarta-feira. O Brasil vai duelar com a Sérvia, de olho também na primeira colocação do grupo, no Spartak Stadium, em Moscou. A Suíça enfrentará a Costa Rica em Nizhny Novgorod. Ambos os jogos serão disputados às 15 horas (horário de Brasília).

COMEÇO ARRASADOR DA SÉRVIA

Enquanto a Suíça entrou em campo nesta sexta com a mesma escalação que empatou com o Brasil na estreia, a Sérvia reforçou seu meio-campo com a entrada de Kostic. A mudança tinha uma meta clara: evitar os avanços da Suíça pela direita, os mesmos que assustaram a defesa brasileira no domingo passado.

Mas a preocupação dos sérvios com a defesa foi rapidamente ofuscada pelo seu próprio ataque. Logo aos 4 minutos, Tadic avançou pela direita, cruzou com precisão e Mitrovic cabeceou para as redes. Foi o 13º gol do atacante nos últimos 15 jogos.

O gol precoce acelerou e abriu rapidamente o jogo, uma vez que os suíços ficaram ainda mais pressionados, agora em busca da virada - um empate já não serviria para o time dos Alpes. A resposta, então, veio com um chute rasteiro de Dzemaili, aos 9, rente à trave esquerda do goleiro Stojkovic.

A Sérvia, porém, não abdicou de atacar após abrir vantagem. O lateral-direito Ivanovic (ex-Chelsea) era uma das principais armas ofensivas da equipe, quase sempre buscando Mitrovic na área. Aos 18, o atacante acertou bela bicicleta, para fora, a partir do passe do lateral.

E, logo, a Suíça já provava do próprio veneno, diante da boa defesa da Sérvia. Shaqiri, que levou perigo contra o Brasil, estava bem marcado justamente por Kostic. A melhor opção, então, era Dzemaili, responsável por duas boas chances suíças.

Diante da falta de maior perigo do ataque rival, a Sérvia passou a buscar mais o ataque nos minutos finais da etapa inicial. Tosic, de cabeça, aos 43, e Tadic, aos 45, desperdiçaram oportunidades claras de gol.

SEGUNDA ETAPA BRILHANTE DA SUÍÇA

O segundo tempo começou com a Sérvia no ataque, mantendo o ritmo do fim da etapa inicial. Mas foi a Suíça quem balançou as redes. Aos 7, a defesa sérvia permitiu a sobra pela esquerda e Xhaka chegou enchendo o pé. A bola estufou as redes e deixou tudo igual no placar.

Mais confiante, o time suíço partiu para o ataque e quase virou o marcador cinco minutos depois. Shaqiri acertou belo chute da direita e carimbou o travessão. Mais cautelosa, a Sérvia também teve chance para empatar. Mas o árbitro não assinalou pênalti claro sobre Mitrovic, aos 22 minutos.

Sem se assustar, a Suíça partiu para cima e deixou a retranca de lado. Diante de uma Sérvia um tanto perdida, diante da postura mais ofensiva do rival, os suíços encontraram brechas nos dois lados do ataque e o gol acabou saindo aos 44 minutos do segundo tempo. quando Shaqiri disparou pelo meio, conteve o marcador e bateu na saída do goleiro Stojkovic, cravando a virada suíça em Kaliningrado.

 

Agência Estado

sdsdsdsds