Valorizando a cultura local e aprimorando a competência linguístico-discursiva dos estudantes piauienses, a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) realizou nesta quarta-feira, o lançamento da III Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa. O encontro que traz como temática “Tecendo saberes do nosso povo” aconteceu no auditório do Palácio Pirajá, Campus Poeta Torquato Neto.

Estiveram presentes na solenidade, membros da Administração Superior da UESPI em conjunto com professores e coordenadores, representantes de entidades, a vice-governadora Margarete Coelho, e o público de alunos. A Olimpíada incentiva e contribui para melhorar a escrita de textos vinculados à pluralidade dos saberes e das vivências dos estudantes nas diversas localidades do estado do Piauí.

A Presidente do Comitê gestor da olimpíada piauiense da língua portuguesa, Prof. Dra. Shirlei Marly comenta que o projeto é em prol as escolas do Piauí e que busca melhorar o ensino. “Esse debate e discussão com a preocupação com a qualidade do nosso ensino, principalmente com o desenvolvimento dos nossos alunos, faz parte do nosso dia a dia em que nós entramos em uma sala de aula, então a olimpíada é fruto das nossas inquietações. Desde que começamos nossa primeira edição nós já percebemos o potencial desse projeto e que ele pretende fazer a diferença”, afirma.

Para a vice-governadora, Margarete Coelho, iniciativas como a esta estimula o aluno a auto se desafiar. “A olimpíada da língua portuguesa é um concurso muito interessante pois incentiva a competitividade do aluno e estimula o aluno a se auto desafiar e testas seus limites, pois não é apenas a questão de competir com o que está ao seu lado, mas também a si próprio. A linguagem escrita é muito forte e presente na academia, pois vai dizer como ela será como profissional, então eu quero parabenizar a UESPI, e que venha muitas outras olimpíadas, que seja uma pratica na universidade, e quero desejar vida longa a esse concurso e muito sucesso para quem participará dele e parabenizar todos os profissionais envolvidos”, afirma a vice-governadora.

O Magnífico Reitor Nouga Cardoso afirmou  que a Olimpíada vai ao encontro de mais uma formação para educação das nossas crianças e da juventude. “Parabenizamos a todos os envolvidos na olimpíada que possibilita as pessoas a procurarem elaborar melhores textos com mais conteúdo de sua vida e do mundo que o cerca. Reitero que certamente preparará melhor para um desafio conjunto não só na área de português e em outras áreas do conhecimento”, disse.

O Professor especialista Alexandre da Silva, representante Instituto Federal do Piauí (IFPI) fala da importância do instituto investir na educação. “Eu tenho certeza que a terceira Olimpíada Portuguesa será um sucesso com a participação de grandes entidades, e nisso o IFPI que continua colaborando para a educação e o fortalecimento cultural dos alunos, acredita que essa iniciativa permitirá aos estudantes a oportunidade de expressar seus pensamentos liberais”.

Para quem participa da Olimpíada a experiência fica para toda a vida, como é o caso da Prof. da escola municipal Professor Valter Alencar, Carmem Sueli. “A primeira olimpíada em 2016, nós trabalhamos o gênero poema de Carlos Drummond de Andrade, que era eu não vi o mar, eu vi a lagoa, e como nós não temos mar aqui, então eu criei uma opção com os alunos era eu não vi o mar, eu vi o rio e a partir disso fizemos uma visita aos rios, e no mês seguinte, nosso gênero era normal, agora voltado as notícias. No ano seguinte, na segunda edição, trabalhamos com crônica, é um gênero difícil de reflexão, porém prazerosa, mas conseguimos, e eu fiquei muito feliz com os dois segundos lugares, fiquei feliz por mim e por alunas perceberem que são capazes” conclui.

A OLINPI

Tratando-se de uma iniciativa da UESPI, a Olimpíada Piauiense de Língua Portuguesa é um concurso de redação dirigido às escolas de Educação Básica da rede pública piauiense conta com a parceria da Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), Secretaria de Estado de Educação (SEDUC), Instituto Federal de Educação do Piauí (IFPI) e União Nacional dos Dirigentes Municipais da Educação (UNDIME).

Para participar, os interessados devem estar matriculados em instituições de ensino mantidas pelas redes públicas estadual, municipal e federal do estado do Piauí. Os alunos devem cursar entre e 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental, modalidades regulares e EJA e 1º, 2º e 3º anos do Ensino Médio, modalidades regular, profissionalizante e EJA.

 

Uespi

sdsdsdsds