Mais uma vez o time brasileiro entra em campo amanhã. Desta vez, o Brasil enfrenta a Costa Rica. O jogo promete grandes emoções e acontece em plena sexta-feira, véspera do São João. Muitos trabalhadores estavam na torcida para que o expediente fosse suspenso para poder conferir cada lance bem à vontade. Outros já sabem que vão trabalhar e estão se preparando para assistir a partida no trabalho mesmo. A Jornalista Bárbara Silva vai acompanhar cada lance da seleção canarinho na empresa que trabalha e está super empolgada. Decoração a mesa e já está penando no figurino verde e amarelo. “Inicialmente, eu não sabia que a empresa ia permitir que os funcionários assistissem os jogos. Fiquei sabendo da novidade essa semana e fiquei muito animada. Não me importei de não estar com minha família neste momento, pois o importante é torcer”, comenta.

uncionária torc

Os colegas de trabalho estão no mesmo clima e estão organizando até bolão. “Já garanti meu placar”, acrescenta animada adiantando que mais difícil do que vencer o bolão vai ser controlar a emoção durante o jogo. “Eu acho impossível ser brasileiro e não se emocionar e ficar feliz vendo a seleção jogar. Se ganhar, então...”, fala sem conter o sorriso.

Alana Almeida, funcionária de uma empresa de comunicação, também vai assistir os jogos Copa do Mundo no ambiente de trabalho. Por ser a mais animada da turma, foi escalada pelo chefe para decorar a sala toda. E, como o expediente de amanhã não vai ser suspenso, ela e os colegas já solicitaram uma televisão para acompanhar a partida.

Embora goste de estar com a família nestes momentos, Alana confessa que está animada para assistir o segundo jogo do Brasil com os colegas de trabalho. “A turma aqui já está bem animada com o jogo. Como não recebemos liberação do chefe para assistirmos os jogos de casa, afinal não fomos convocados pelo Titi, vamos assistir daqui do trabalho mesmo”, diz empolgada.

Vale lembrar que a empolgação pode ser um problema já que nestes momentos é comum que as pessoas se deixem dominar pela emoção de torcedor. Alana já sabe que vai ter que tentar se comportar como o ambiente pede. “Não sou muito de filtrar palavras, principalmente nestas ocasiões onde a emoção está a flor da pele, mas vou me podar sim. Afinal, estou em meu ambiente de trabalho”, pontua Alana.

Mesmo naquele momento sendo um funcionário torcedor, todos estão sendo observados. É preciso respeitar o ambiente de trabalho. Profissionais de Recursos Humanos recomendam consultar as regras da empresa onde você trabalha antes de começar a enfeitar mesas e aparecer para trabalhar com a camisa do Brasil. Nas empresas que usam fardas, por exemplo, não é bom o funcionário infringir essa regra. O profissional deve prestar atenção ao seu comportamento durante as partidas para não comprometer seu emprego e nem a sua carreira. Saiba mais: Copa do Mundo 2018: conheça um pouco da Rússia

Trabalho e Diversão

Existem também algumas empresas que permitem que o funcionário folgue ou, pelo menos, não precise estar no momento do jogo no local de trabalho. Porém, é bom não abusar. Se não for folgar, nada de

consumir bebidas alcoólicas e depois ir trabalhar ou chegar bem atrasado. E, se a empresa conceder a folga, observe se existe um banco de horas para isso e deixe tudo alinhado. Afinal, a última coisa que você quer é não ganhar esse jogo. Seja na Copa do Mundo ou no trabalho, a vitória é sempre importante. Deixe seu trabalho em dia, mostre comprometimento. Afinal, como bem disse Alana, você não foi convocado pelo técnico da Seleção Brasileira. O bom senso nessas horas é fundamental.

Vanessa Casaes – Ascom Educa Mais Brasil

A Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PREG) da Universidade Estadual do Piauí (UESPI), por meio da Coordenação do Programa Institucional de Bolsas de Residência Pedagógica (RP), torna público o Processo Seletivo para Preceptores Bolsistas e Cadastro de Reserva que integrarão o Programa Residência Pedagógica da UESPI.

O programa objetiva fomentar a formação docente de estudantes dos cursos de Licenciatura das Instituições Públicas de Educação Superior, aumentando a convivência dos graduandos com o cotidiano da função, colaborando e aperfeiçoando a prática do estágio supervisionado, estimulando a permanência deles na docência e o desenvolvimento profissional.

Serão concedidas bolsas para preceptores no valor de R$ 765,00 (setecentos e sessenta e cinco reais) mensais, destinadas a professores da educação básica nas escolas habilitadas ao Programa Residência Pedagógica. As inscrições serão feitas no período de 22 à 26 de junho, no horário de funcionamento das respectivas coordenações, mediante a apresentação de todos os documentos. Somente poderão se inscrever professores que atuam na área e nível de ensino das escolas habilitadas.

Os documentos necessários para inscrição são:

  1. a) Formulário de Ficha de Inscrição preenchida e assinada (Anexo I);
  1. b) Formulário de Carta de Intenções, justificando o interesse em participar do RP/UESPI. (Anexo II);
  1. c) Cópia do diploma de Graduação;
  1. d) 01 Foto 3×4, identificada no verso pelo Nº do RG e anexada à ficha de inscrição;
  1. e) Cópias do CPF e RG, (frente e verso);
  1. f) Comprovação de votação na última eleição ou declaração de quitação emitida pela Justiça Eleitoral;
  1. g) 01 cópia do Currículo Lattes, com comprovação de itens que servirão de base para pontuação dos candidatos, conforme Tabela de análise do currículo (Anexo V);
  1. h) Declaração, assinada pelo Diretor da escola habilitada em que pretende se candidatar, de que está em pleno exercício, há pelo menos dois anos (nessa escola preferencialmente) com prática efetiva de sala de aula;

Confira o edital.

 

Uespi

Os aplicativos desenvolvidos para smartphones trazem inúmeras facilidades para a vida dos usuários, mas também contribuem para o estreitamento das relações entre as organizações e os públicos que interagem diretamente com elas. Entretanto, os benefícios da geolocalização não se resumem apenas à relação empresa x consumidor. As escolas brasileiras poderão usar o aplicativo educacional Censo Localiza para preencherem as informações relativas ao Censo Escolar da Educação Básica 2018.

Censo Escolar

Disponível nas plataformas Play Store (Andoid) e Apple Store (iPhone), o aplicativo pode ser usado por todas as instituições educacionais que declarem dados por meio do Sistema Educacenso. De acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o aplicativo “possibilitará o desenvolvimento de estudos e o acompanhamento de políticas públicas levando em consideração também a análise do território”. Saiba mais: Censo Escolar 2018 tem calendário definido

Tal análise será possível porque as informações são coletadas com base no GPS (Global Positioning System, ou Sistema de Posicionamento Global, em português), que utiliza a geolocalização e os dados de identificação do smartphone a partir de uma conexão com a internet.

Como funciona o aplicativo Censo Localiza?

Para a marcação dos pontos da escola, não é necessário estar conectado à internet. Basta apenas que estejam salvos no celular e que sejam enviados para o Inep futuramente quando houver conexão. O indicado é que sejam feitas ao menos quatro marcações em “em local e em um ponto central da escola”, a fim de garantir o bom funcionamento do aplicativo.

Para que serve o censo escolar?

O Censo Escolar é realizado anualmente para coletar dados das escolas e, a partir das informações, são elaboradas estatísticas para avaliar a qualidade da educação básica brasileira. A coleta de dados é feita nas escolas públicas e particulares do país em colaboração entre secretarias de educação municipais e estaduais. Diversos níveis são avaliados e incluem também a educação profissional: ensino regular; educação especial; educação de jovens e adultos (EJA); educação profissional.

Tunísia Cores – Ascom Educa Mais Brasil

sdsdsdsds