mulhergolpistaContando uma história fantasiosa sobre problemas de saúde ou até morte na família, uma mulher, até então não identificada, ficou conhecida em Teresina por aplicar golpes em diversas igrejas da capital. Ela se aproveita da solidariedade das pessoas, que dão dinheiro e só depois percebem que foram vítimas de uma mentira.

Rozilda Araújo, que é secretária paroquial, contou como foi enganada, afirmando que a mulher procurou por ela e contou que estava com o filho doente e que precisava aumentar a dose da medicação solicitada pela médica.

“Ela dizia que se aumentasse a dose, o menino ficaria bom mais rápido, e aí ela aumentou a dose e o menino piorou. Como o marido dela estava trabalhando com os políticos em Esperantina e só voltaria 19h30, ele pediu que ela visse pedir ajuda”, explicou Rozilda, contando detalhes de como a mulher atuava.

Wellington Fabrício, secretário da Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no bairro Mafrense, também foi vítima do golpe e acredita que ela faça uma espécie de sondagem de pessoas conhecidas nas paróquias antes de aplicar os golpes, com o intuito de criar uma história convincente.

“Há quem diga que ela passe de dois a três dias antes de fazer essas visitas nas paróquias, identificando pessoas conhecidas, inclusive vizinhos das igrejas. A gente percebe que a história dela é falsa porque ela apresenta a mesma história em todas as paróquias”, declarou.

A mulher tem se apresentado como Maria Gabriela, nome que as vítimas suspeitam que seja falso. Ela aplicou golpes em no mínimo 15 paróquias na cidade. Assinando recibos e garantindo que vai devolver o dinheiro cedido, ela convence as suas vítimas.

As igrejas têm instalado câmera de segurança com o intuito de inibir esse tipo de ação. Até o momento, a mulher não foi localizada.

 

G1-PI

Foto: reprodução TV Clube

sdsdsdsds