Foi preso nessa quarta-feira, 13, um suspeito considerado de alta periculosidade, no bairro Promorar, zona Sul de Teresina.

Segundo o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o suspeito é investigado pelos crimes de tráfico de drogas, tentativa de homicídio, porte ilegal de arma de fogo e roubo. Além disso, ele também é investigado por participação em três homicídios ocorridos no ano passado.

Os homicídios ocorreram no Portal da Alegria, zona Sul de Teresina e na região do bairro Esplanada, também na zona Sul.

Ainda de acordo com a polícia, o suspeito teria praticado os crimes por conta de rixa com as vítimas.

 

180graus

rafaelNo início da noite de ontem, 13, policias militares da Força Tática de Campo Maior prenderam um homem identificado por Francisco Alves da Silva Filho. Com o mesmo, a polícia encontrou 02 pistolas, 19 munições e 03 carregadores de pistola, duas CNH.

Rafael, como é conhecido, já responde pelo crime de estelionato e nesta tarde teria se envolvido em uma confusão na cidade de Luís Correia, onde houve até disparo de arma de fogo.

Um empresário de Campo Maior estava fazendo manutenção de torres de internet entre Cocal de Telha e Capitão de Campos e quando entrava no carro para sair, o suspeito se aproximou em atitude suspeita. Neste momento, um amigo do empresário chegou ao local e o suspeito acabou pegando a BR-343 no sentido a Capitão de Campos, em alta velocidade e por pouco não provoca um acidente com um quarto veículo que passava pelo local.

Em Capitão de Campos a polícia foi acionada sobre a atitude suspeita de Francisco Alves, que retornou no sentido a Teresina, onde mora. De posse das informações, a Polícia Militar de Campo Maior fez uma barreira na BR-343, na altura do entroncamento com a PI-115, que liga a Castelo do Piauí, passando a acompanhar o homem, que acabou preso já na zona urbana de Campo Maior.

“Tivemos a informação dos PMs de Capitão de Campos e Cocal de Telha que esse elemento seguia em um veículo modelo gol branco, perseguiu um empresário. Foi feita uma barreira na BR-343 e iniciamos um acompanhamento do mesmo e tão logo o indivíduo adentrou em Campo Maior foi interceptado pela Polícia Militar” disse o major Etevaldo, comandante do 15º BPM.

 

campomaioremfoco

Uma mulher identificada por Cristiane Vieira dos Santos foi presa, numa ação da Polícia, por receptação dolosa.

Ela estava com um aparelho de celular que havia sido furtado e foi presa na região do bairro Nossa Senhora da Guia, em Floriano.

Cristiane teria comprado um aparelho roubado e tinha ainda em  seu poder outro aparelho de celular,  que de acordo com informações levantadas pelo Piauí Noticias, havia sido roubado no ano passado.

 

Da redação

alipioFoi confirmada a identidade do homem morto na tentativa de assalto ao McDonald’s na zona Leste de Teresina, na madrugada desta quarta-feira, 13. De acordo com o delegado Francisco Costa, o Baretta, coordenador do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) a vítima fatal é Alípio Moreira de Sousa Neto, 23 anos, funcionário comissionado do metrô de Teresina.

"Em 2014 sofreu uma tentativa de homicídio e em 2015 foi preso em flagrante por roubo de veículos e falsa identidade. Trabalhava como funcionário do metrô e foi recrutado para esse crime. O DHPP vai atuar nesse caso para apurar a intervenção policial", disse Baretta.

 Alípio Moreira exercia a função de supervisor da Companhia Metropolitana de Transporte Público de Teresina desde 2016 e tinha vencimento de quase R$ 2 mil.

Alípio Moreira foi morto durante confronto com a PM que conseguiu impedir o roubo. De acordo com informações no cofre que os criminosos pretendiam roubar havia mais de R$ 100 mil. Para entrar no Mc Donald's, o trio fingiu ser cliente e entrou no estabelecimento através do drive thru, serviço onde clientes não precisam descer do veículo para fazer pedidos.

Baretta acrescenta que foram requisitados exames para esclarecer a dinâmica do crime, se houve excesso ou não dos PMs, durante a abordagem. Contudo, o delegado adianta que os policiais militares agiram amparados em excludentes de ilicitude.

"Requisitamos vários exames, mas pelo levantamento já identificamos que os PMs foram recebidos a balas e tiveram que repelir a injusta agressão, além de terem agido no estrito cumprimento do dever legal. O segurança também teve uma atitude correta. De Cajueiro da Praia a Cristalândia, onde o cidadão estiver sendo lesado ou ameaçado, que a Polícia Militar esteja presente, repelindo a ação de criminosos e dando uma resposta à altura que a sociedade espera e merece", disse Baretta.

Para o coordenador do DHPP, o crime foi "parada dada".

"O 12º DP que vai investigar a dinâmica do roubo, mas pelo levantamento que o DHPP fez, não temos dúvida que foi parada dada. Eles roubaram o carro ontem e se preparam para o roubo que acabou dando errado pra eles. Foi parada dada. Os criminosos tinham informações privilegiadas, inclusive, que havia uma quantia considerável e quando seria o recolhimento", disse Baretta.

 

cidadeverde

Foto: reprodução Facebook